Robots, o rosto triste do futuro

Instigante,o ensaio sobre Robots, fotografado por Luisa Whitton, para sua tese de doutorado em fotografia no London College of Communication.

Os robots humanóides, flagrados em linha de montagem na fábrica Honda, no Japão, deixam antever o melancólico, senão triste, rosto do futuro.

A ciência da robótica segue avançando. Ainda não existem os robots humanóides da ficção, quais os personagens vistos em Blade Runner e o Exterminador do Futuro. Mas estão chegando.

Atualmente os robots básicos são feitos no Japão e na China, por varias empresas, da Foxconn, Pannasonic, Google até a Honda. Há o objetivo de instalar mais de um milhão de robots em 3 anos.

Criaturas automáticas destinadas à medicina, controle biológico e fisioterapia.Ou escaladas para o campo militar e áreas de segurança, treinadas para desarmar minas e bombas, como os BigDogs da Bostan Dynamics, empresa adquirida pela Google.

Há também robots assistentes domésticos, cuidadores, empregados, e até companheiros de prazer corporal. Algo à altura da fértil imaginação de Spielberg em Inteligência Artificial, onde Jude Law namorava um androide.

Criados pelo mercado para substituir seres humanos em tarefas maçantes, ou como cuidadores de idosos, ou ainda como companhia a pessoas solitárias, os robots estão longe do sopro de vida, que torna únicas as criaturas humanas.

Supercomputação na cura do câncer

Na Catalunha, os jovens professores David Torrents e Santi Gonzalez ( foto), do Centro de Supercomputação da Universidade de Barcelona divulgaram ser possível apressar a cura do cáncer através de tratamento personalizado feito com método computacional capaz de detectar alterações no código genético relacionado com a aparição de tumores. Estudando específicamente, e rápidamente, cada caso.

O sistema , que conjuga conhecimentos médicos e genéticos com tecnología avançada, gerou um software batizado SMUFIN.

O comunicado – através da revista científica Nature Biotechnology – assegura a possibilidade de identificar mutações específicas em cada paciente, comparando os genonas de suas células sãs com suas células cancerosas.

Através das mutações é possível fabricar remédios singulares, para cada pessoa, e assim conseguir a cura. A idéia é desvendar o DNA, este livro da vida,escrito em código espiral, específico de cada pessoa.

O tratamento desenhado para cada caso, a partir da investigação genética da origen do problema,permite cura de cáncer de mama, de fígado, de páncreas, evitando a rejeição que uma quimioterapia exitosa num caso apresenta em outro.

O diagnóstico de um tumor, que antes se fazia em até uma semana, com o novo método pode ser feito entre 5 e 10 horas. A cura pode ser mais eficiente, pela rapidez de diagnóstico e combate.

Fiéis até depois da morte

Emocionam, comovem, e fazem pensar na inteligência emocional canina, as fotografias dos dois mascotes de Nathan Cirillo, o soldado assassinado por terrorista islâmico diante do Parlamento , no Memorial de Guerra de Otawa, no Canadá.

Sentidos com a ausência do seu dono , diante da casa, de olhar triste, cabisbaixos, deprimidos, os dois cães parecem compreender o drama da família do mártir da liberdade.

Ali, os cães acolhem os visitantes e até abraçam os presentes votivos deixados pelo povo comovido. Ursinhos de pelúcia, maços de flores, bandeiras nacionais. Fotos Reuters.

Bulgari comemora 130 anos

Para celebrar seus 130 anos, a joalheria Bulgari doou 1,5 milhão de euros à prefeitura de Roma destinados à restauração da Scalinatta di Piazza di Spagna, escadaria monumental da igreja da Trinitá dei Monti,perspectiva da elegante via Condotti, seu endereço. Um evento de som e luz marcou a noite festiva de outono.

Na mesma noite, Bulgari abriu exposição permanente – uma espécie de museu – na sua esplêndida joalheira da via Condotti. O espaço chamado DOMVS – casa senhorial, em latim – com vitrines que expõe a Heritage Collectiondos ourives mais famosos do mundo.

Entre as peças ali dispostas um colar de ouro com três moedas romanas originais, cunhadas ao tempo de Nero – anos 54 a 68.d.C – , com as efígies do imperador em ouro, prata e bronze.

Um broche de rubis e diamantes que já enfeitou o colo de Anna Magnani, a mais romana das atrizes do cinema.

Exposto também o colar Bulgari de Elizabeth Taylor, com safira octagonal que lembra o teto da Basílica de Massênzio, no Fórum Romano. A generosa atriz vendeu a joia  de volta aos Bulgari, por motivo nobre: o socorro a um hospital de doentes de AIDS, em Botswana, na África, em 1978.

A mostra permanente Bulgari revela ainda um colar com a planta do Castel Sant’Angelo, desenhada em esmeraldas, ametistas e brilhantes, e as jóias pessoais readquiridas das lendárias atrizes Sophia Loren, Ingrid Bergman e Anita Eckberg.

E o fabuloso colar comemorativo dos 130 anos da Bulgari, batizado Ultimate Temptation, em forma de serpente tentadora, um diamante lapidado em gota de 12,16 quilates, pendente de colar de diamantes com mais de 60 quilates. A modelo Naomi Watts já havia mostrado, em preview a serpente tentadora no red carpet do Festival de Cinema Cannes.

Na inauguração do espaço Domus, na quinta 23, foi exibido o curta metragem The Dream, o Sonho, dirigido por Paolo Sorrentino, o autor de A Grande Beleza, estrelado por Valeria Golino.

Depois do corte da fita, o prefeito de Roma, Ignazio Marino, e a embaixatriz Bulgari,ex-primeira dama da França, Carla Bruni Sakorzy, conheceram a loja museu, recebidos pelos herdeiros Bulgari, Paolo e Nicola e Jean Chistophe Babin, atual CEO do grupo.

Multidão em Roma, em noite de festa, é constelação de estrelas. Lá estavam a modelo tailandesa Shu Qui, a estrela Adrien Brody (The Pianist), o belo modelo espanhol Jon Kortarajena, Isabella Ferrari, a atriz de La Grande Bellezza, Laura Morante.

E todas as princesas da Cidade Eterna : Alessandra Borghese (foto), Lucrezia Gaetani (foto), Maria Sole Torlonia Agnelli (foto), Viviana Colonna, Lucrezia Moncada dei Principi di Paternó, Scilla Ruffo di Calabria,  Lorenza Von Un Zu Lichenstein, Matilde Borromeo Von Furstenberg, Mafalda Von Hesse de Assia, Maria Pace e Sophia Odescalchi, as três Windisch Graetz – Sophia, Victoria e Larissa -, Biancha di Savóia Aosta, Melusina Ruspoli e Maria Von Thurn Und Taxis (foto).

Roma tem a maior concentração de princesas residentes por metro quadrado neste mundo. Algumas da nobreza nera – antiga nobiliarquia da Igreja Católica – outras da nobreza européia. Várias delas já de feudos arruinados, mas sem perder a pose. Outras refeitas em fortuna por casamentos auspiciosos. Todas encantadas em viver na cidade de clima doce e elegante tradição heróica.

Izabel Goulart: o luau de 30 anos

Os 30 anos da modelo Izabel Goulart foram comemorados em Alagoas, na paradisíaca paisagem da Barra de São Miguel, no exclusivo Kenoa Spa Resort.

O hotel já foi cenário de ensaios de moda da top model para a Companhia Marítima.

Em fotos de Instagram, a modelo fez saber ao Brasil dos encantos da festa. Vestiu saiote de palha, espocou champagne,dançou o ula-ula com seu cachorrinho e amigos escolhidos.

Aqui a imagem do hotel, de um folder promocional. Para dar uma ideia dos ambientes da festa dionisíaca onde Izabel Goulart foi anfitriã.

Eterna primavera, o art noveau


O estilo Art nouveau , tendência entre 1890 e 1910 na arquitetura e artes decorativas, encanta até hoje. Este bule de chá estonteantemente lindo é uma das peças jungenstilarte nuova, art noveau… Veja e Leia Mais em Vitrine.

Twitter real

Para rebater notícias maldosas de que estaria com sintomas de mal de Alzheimer e senilidade acentuada, a veneranda rainha Elizabeth II twittou em público, numa reunião da Real Academia de Ciências, em Londres.

Vestiu azul hortênsia, levantou-se do trono, caminhou até uma tribuna, e num twitter acoplado a telões, escreveu mensagem para os 754 mil seguidores do seu perfil:

It is a pleasure to open the Information Age exhibition today at the @ScienceMuseum and I hope people will enjoy visiting. Elizabeth R.

Capela Sistina à luz de Led

Por ocasião dos 450 anos da morte do genial Michelangelo Buonarrotti, a Capela Sistina – quinta, 16 de outubro – passou a ser iluminada com 7 mil lâmpadas led.

Com rigor científico, a tonalidade da luz e o espectro de cores foram adaptados para os pigmentos utilizados por Michelangelo e outros pintores do Renascimento.

A orientação precisa dos Led também permite iluminar paredes e  teto da capela de maneira uniforme, sem ofuscar os olhos dos visitantes. Os dispositivos foram instalados de forma não visível para recriar um efeito natural de luz, de modo a fazer parecer que o feixe de luz vem diretamente das janelas.

O novo sistema dá uma nova luz a todos os afresco, identificando até mesmo os fios de ouro nas pinturas, tornando as Sibilas brilhantes e  mais nítidos os Profetas dos tímpanos do teto.

O efeito mais visível é o aumento do halo de luz em torno de Jesus no Juízo Final. Ecologistas comemoram: além de uma melhor qualidade de iluminação, a utilização dos Led assegura uma poupança econômica considerável com uma diminuição do consumo de energia em mais de 60%.

A Capela Sistina, erguida entre 1475 e 1481, no tempo do Papa Sisto IV della Rovere, é o espaço sagrado do conclave que elege os pontífices da Igreja Católica. O Papa Júlio II comissionou – não sem uso da força – o grande Michelangelo Buonarrotti para pintar a Criação do Mundo e cenas do Gênesis entre 1508 e 1512. E a parede de fundo do altar mór, com cena dantesca do Apocalipse, revelando o Juízo Final, tarefa executada entre 1535 e 1541

A Capela Sistina conta ainda com painéis da maioria dos mestres renascentistas: Sandro Botticelli, Pietro Perugino, Pinturicchio, Domenico Ghirlandaio, Luca Signorelli e Piero di Cosimo.

Curiosidade: com 40,93 metros de comprimento e 13,41 de largura, com 20,70 metros de altura tem as dimensões bíblicas do Santuário do Templo de Salomão, conforme vêm descritas no Velho Testamento.

Fotografia Brasileira em Paris

Em Paris, o Salão de Fotografia La Quatrieme Image abriu amplo espaço para o Brasil. Afinal, os franceses são apaixonados pelo nosso trópico.

A exposição, com o melhor da fotografia contemporânea, até 2 de novembro, contempla os noturnos estrelados no Rio de Janeiro, na visão de Betina Samaia.

Destaque para o exotismo das imagens amazônicas, como Pirarucú e Sucuri, de Edu Simões.

Lá também expõe suas visões de Brasil, os fotógrafos Bob Wolfenson, Claudia Jaguaribe, Claudio Edinger, Iatã Cannabrava, Lucas Lenci, Rogerio Reis, Sheila Oliveira. O Brasil é um celeiro de mestres fotógrafos. Aqui a pungente memória da boa gente nordestina, na lente de Tiago Santana.

Para realçar este traço da nossa cultura, num Brasil onde a fotografia foi pioneira pelas mãos do imperador D.Pedro II, criamos aqui em Curitiba, no Solar do Barão, o Museu Brasileiro da Fotografia, hoje , como tudo na nossa cultura, meio abandonado e esquecido.

Clima: calor excessivo e seca nascem assim

A dramática falta de água, pela absoluta ausência de umidade e chuvas, em São Paulo , antiga terra da garoa, e várias cidades do sudeste do Brasil, tem relação direta com a devastação da Floresta Amazônica.

Em vôo instruído por GPS de satélite, o fotógrafo Rafael Alves, ativista ambiental do movimento Greenpeace revela as serrarias e queimadas desde o alto.

O desequilíbrio do desmatamento pelo extrativismo primitivo, nem sempre coibido pelas nossas negligentes ( ou corruptas) autoridades nacionais, seria a causa da seca que coloca os paulistanos e paulistas de canequinha na mão diante de carros pipa. Está comprometida pelo desmatamento a frente usual de umidade que soprava da Amazônia sobre o sudeste do Brasil – brisa criadora da antiga Mata Atlântica.


Vivaweb Internet Todos os Direitos Reservados Margarita Sem Censura